Narcolepsia

A narcolepsia é uma doença caracterizada pela sonolência excessiva diurna, paralisia do sono, alucinações hipnagógicas (no início do sono), cataplexia (perda súbita do tônus muscular, geralmente precedida por uma emoção intensa) e sono noturno fragmentado.

Outras manifestações da narcolepsia são episódios de comportamentos automáticos, pesadelos, déficits cognitivos, obesidade, parassonias e diabetes tipo II.

Trata-se de uma doença crônica, com diagnóstico muitas vezes tardio, acarretando repercussões pessoais, familiares e sociais importantes.

O diagnóstico é baseado em uma avaliação clínica detalhada e sistematizada e, caso a suspeita clínica seja confirmada, devem ser solicitados exames complementares como Ressonância Nuclear Magnética – geralmente para afastar outras hipósteses diagnósticas e polissonografia e teste de múltiplas latências do sono, para corraborar o diagnóstico de narcolepsia. Em casos selecionados, solicita-se também exame do líquor com dosagem de hipocretina-1.

Após definido o diagnóstico, o tratamento comportamental e medicamentoso é iniciado e tem como objetivos o controle dos sintomas e a melhora da qualidade de vida do paciente.