Apneia Obstrutiva do Sono

A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) é caracterizada por episódios recorrentes de obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores durante o sono, geralmente resultando em aumento do número de despertares durante a noite, sono não reparador, dessaturação da oxihemoglobina (diminuição dos níveis de oxigênio no sangue) e sonolência excessiva diurna.

As principais queixas dos pacientes com AOS são roncos e/ ou pausas respiratórias durante o sono; aumento do número de despertares durante a noite, insônia, sono não reparador, sonolência excessiva diurna, fadiga, irritabilidade, dor de cabeça, principalmente pela manhã e desatenção.

Após suspeita clínica, o diagnóstico é feito através da polissonografia, exame no qual o paciente tem o sono monitorado durante toda a noite.

Existem muitos tratamentos disponíveis para a AOS e a escolha do tratamento leva em consideração principalmente a gravidade da AOS.

A AOS tem sido cada vez mais associada com fator de risco para doenças cardíacas, neurológicas e metabólicas, por isso a importância do diagnóstico e estabelecimento do tratamento, pois este, além de melhorar a qualidade de vida do paciente, contribuirá na prevenção destas doenças.